Clínica Zenha Blog

Saúde Oral

Mau hálito: Como o combater?

A halitose, ou mau hálito, consiste numa alteração anormal e desagradável do hálito e é uma das patologias mais antigas e problemáticas da nossa sociedade.

mau hálito como o combater

Estima-se que entre 22 a 50% da população mundial padeça ou tenha sofrido de mau hálito de forma assídua, independentemente do género, idade ou classe social.

Uma vez que esta condição apresenta uma elevada prevalência e impacto social negativo e, sendo uma queixa bastante comum nos consultórios médico- dentários, é considerada como o terceiro motivo mais frequente para visitar um médico dentista, após a cárie dentária e a doença periodontal (Ren W. et al., 2016; Guedes C. et al., 2019).

De acordo com um estudo realizado por Gameiro A., 2016, são várias as variáveis psicossociais que influenciam reciprocamente a saúde e qualidade de vida, bem como o bem-estar da sociedade em geral. A halitose é apontada como uma mudança real ou imaginária que se manifesta como um sinal e/ou sintoma devido a alterações – fisiológicas, adaptativas e patológicas podendo ser senso percetivas, gustativas e/ou olfativas – que ocorrem no organismo.

No entanto, e apesar da importância crescente que se atribui a este assunto a nível social, especialmente pelo impacto relevante na qualidade de vida dos indivíduos afetados, ainda se constata uma desinformação generalizada sobre o tema. Além disso, a halitose continua a ser um tema objeto de incompreensão e escárnio entre a sociedade, causando, assim, um transtorno na coexistência social, pessoal e profissional.

soluções para mau hálito

A perceção desta anomalia, provoca consequências significativas psicológicas, como manifestações de comportamento alterado visíveis – tapar a boca ao falar, manter uma distância interpessoal maior ou evitar relações sociais – e na autoestima dos indivíduos.

A halitose possui uma etiologia multifatorial; estão indicadas mais de 80 causas possíveis. Porém, estima-se que 90% das incidências de halitose em adultos e em crianças estão diretamente associadas a condições orais, como por exemplo a formação e acumulação de placa bacteriana – língua saburrosa, higiene oral insatisfatória –, alterações salivares, cárie dentária ou doença periodontal; sendo o principal fenómeno a decomposição de matéria orgânica por bactérias anaeróbicas presentes na cavidade oral.

O mau hálito também pode estar associado a distúrbios respiratórios e otorrinolaringológicos, como amigdalites e sinusites, a síndromes metabólicas, bem como a patologias gastrointestinais, endócrinas, hepáticas ou renais, ou até mesmo por alguns hábitos, como tabagismo e consumo de bebidas alcoólicas, jejum prolongado ou toma de certos medicamentos.

A halitose tem características que tornam o tratamento bastante desafiador devido à sua etiologia multifatorial. Um dos maiores obstáculos na abordagem do tratamento deve-se à multiplicidade e complexidade das causas pois estas podem ter origem em diversas partes do organismo e, consequentemente, requerem o envolvimento de diferentes especialidades da medicina requerendo, por isso, uma abordagem multidisciplinar para um tratamento efetivo.

acabar com mau hálito

Para prevenir e/ou combater o mau hálito, ficam aqui 10 dicas que pode seguir:

  1. Beba água – a boca seca é o ambiente ideal para as bactérias causadores do mau hálito; devesse ao facto de necessitarem de ambientes com pouco ou nenhum oxigénio para se multiplicar.
  2. Diminua o consumo de certos alimentos – alimentos como alho, cebola e fritos, por exemplo, apresentam alto teor de enxofre.
  3. Evite alimentos ácidos e açúcar – além de desidratarem o organismo, as bactérias anaeróbias alimentam-se destes substratos.
  4. Evite o jejum prolongado – a ausência de alimento por um longo período de tempo causa acumulação de restos epiteliais e alimentares no dorso da língua.
  5. Evite o cigarro e o álcool – além de originarem mau hálito, por si só, provocam a redução do fluxo salivar, hipossalivação, e podem incitar e/ou agravar a doença periodontal.
  6. Pastilhas elásticas não são solução – embora contribuam para o aumento da salivação, melhoram apenas temporariamente o hálito, mas não combatem a causa.
  7. Escove bem os dentes e a língua – uma higiene oral inadequada conduz à formação de placa bacteriana que pode conduzir à gengivite ou periodontite. Esta situação aliada à presença de bactérias potenciadoras de mau hálito é a receita para mau odor.
  8. Evite o stress – este aumenta a libertação de adrenalina na corrente sanguínea o que provoca uma inibição momentânea das glândulas salivares e, consequentemente, uma diminuição do fluxo salivar.
  9. Visite o seu médico de família e faça um check-up geral – doenças sistémicas, como a Diabetes Mellitus, ou a toma de certos medicamentos afeta a produção salivar provocando boca seca.
  10. Consulte o médico dentista periodicamente.

Marque a sua consulta de avaliação e saiba como o pudemos ajudar!

Categorias

Consulta

Marque agora a sua consulta